Dicas, Curiosidades e Sugestões Sobre Impressoras


Aqui pretende-se ir apresentado algumas dicas, esclarecimentos ou até mesmos curiosidades que nos vão surgindo e que achemos haver interesse em partilhar com os nossos visitantes.

  1. Nunca atualize o firmware da sua impressora
    Pode parecer um contra-senso mas sempre que possível é bom hábito não atualizar o firmware de uma impressora. Se a impressora funciona bem, não atualize o firmware. A atualização do firmware pode impedir que qualquer tinteiro que não seja da própria marca possa ser usado. Teria que usar apenas originais. Note ainda que o firmware é o software que está na impressora e que faz a gestão do seu funcionamento. Pode atualizar o software que tem instalado no computador, mas tenha atenção que ao fazer essa atualização, pode vir por arrasto a atualização do firmware da impressora. Note ainda que após atualizar o software da impressora no seu computador, pode ter ficado com a opção de atualizar o firmware de forma automática. É necessário que desative essa opção.

  2. Se tem instalado um CISS ou um conjunto de tinteiros recarregáveis imprima com alguma frequência
    Para uma boa saúde do cabeçote da impressora a jato de tinta é bom hábito imprimir com alguma frequência, o ideal seria imprimir uma página a cores por dia e uma limpeza ao cabeçote quinzenalmente, mas se não tem tempo para isso, faça pelo menos duas impressões com todas as cores por semana (páginas cheias de cor). Não tenha medo em imprimir duas páginas cheias de tinta, afinal a tinta é super económica e só fará bem ao cabeçote. Evite ainda a utilização do modo rascunho, utilize impressão normal ou melhor, dessa forma o cabeçote terá menos probabilidades de entupir.

  3. Tinta universal para todas as marcas de impressoras??? Que aldrabice!!!
    Existir uma tinta universal que funcione em todas as impressoras a jato de tinta é manifestamente impossível! Não existe uma tinta que sirva em qualquer marca de impressoras, porque as marcas de impressoras tratam a tinta de forma diferente, por isso é necessário que as respetivas tintas tenham características particulares para a impressora onde será usada. Mesmo dentro da mesma marca não se pode dizer que a tinta preta, por exemplo, funcionará em todos os modelos dessa marca. É verdade que existem tintas que dão para vários modelos de impressoras e até algumas tintas permitem a utilização em marcas diferentes, mas são casos muito particulares. Por isso antes de usar uma tinta numa impressora, certifique-se que ela será adequada para o modelo em questão.

  4. Tinteiros originais, compatíveis, reciclados e recarregáveis?... Nós esclarecemos!
    Existem vários tipos de tinteiros no mercado e por vezes os utilizadores fazem alguma confusão com os respetivos tipos. Passamos então a esclarecer. Para o mesmo modelo de tinteiros pode haver:
    • Tinteiros originais - são tinteiros fabricados pelas respetivas marcas de impressoras. Há da HP, Epson, Canon, Ricoh, Samsung, Lexmark, etc.. São os mais caros e os mais indicados pelos fabricantes de impressoras.
    • Tinteiros compatíveis - são tinteiros que tentam ser semelhantes aos originais, mas mais económicos, normalmente com a mesma quantidade de tinta, muitas vezes sem marca e com tinta de qualidade duvidosa provocando em certos casos, danos irreparáveis no cabeçote de impressão. É necessário ter muito cuidado com os compatíveis, dado que pode o preço ser aliciante mas sair caro. 
    • Tinteiros reciclados - são tinteiros que já foram usados anteriormente e que foram limpos e até lavados, sendo novamente carregados com tinta - algo que é pouco funcional, já que esses tinteiros foram construídos para serem usados uma única vez. É preciso ter também atenção ao tipo de tinta com que são carregados.
    • Tinteiros recarregáveis - são tinteiros que foram construídos para serem usados continuamente ao longo da vida duma impressora, sem ter que os substituir por outros. Também são conhecidos como "tinteiros eternos" pelo facto de só os adquirir uma vez e estarem preparados para serem reabastecidos com tinta as vezes que foram necessárias. Só tem que adquirir tinta e reenchê-los de forma fácil. Muitas vezes nem necessita de usar seringas. Quando utilizado com tintas de qualidade, como as que comercializamos, contribuem para uma vida longa do cabeçote da impressora e garantem uma ótima qualidade de impressão. Este tipo de tinteiros a par com os Sistemas CIS (para quem imprime muito, mais de uma resma/mês), são a melhor solução para uma impressão de qualidade e de forma muito económica.

  5. O que são Chips ARC?
    ARC é o acrónimo em inglês de "Auto Reset Chip". significa que são chips permanentes e que fazem o restart ao ciclo do tinteiro de forma automática, sem necessidade de utilizar outro dispositivo. Adquire os chips ARC apenas uma vez e nunca mais os deverá comprar.

  6. O que um resetter ou resetador?
    Um resetter é um dispositivo que ao ser aplicado a um chip específico (normalmente original), fará que a impressora o identifique como novo, com o nível de utilização a zero.

  7. Limpeza de cabeçotes de impressoras e de sistemas CISS
    Se a sua impressora deixou de imprimir é possível que o cabeçote ou o sistema CIS, caso o tenha, esteja entupido. Isso acontece essencialmente quando não se imprime o suficiente para que a tinta flua nos canais desde os reservatórios do CISS ou apenas dos tinteiros até ao cabeçote. Pode ter a sensação que imprime frequentemente, mas porventura não o faz com todas as cores na mesma quantidade e abundância. Pode imprimir mais com a cor preta do que com a cor magenta e é por isso que só a vis do magenta é que por ventura estará obstruída. Pode acontecer também que o cabeçote esteja desgastado e se encontre em fim de vida. Mas antes de chegar a essa conclusão precisa verificar se o CISS está entupido e após verificar essa hipótese terá que direcionar a sua atenção ao cabeçote. A limpeza de um cabeçote fica a depender do seu tipo de construção. Chamamos a atenção em que nalgumas impressoras, como as HP que utilizam tinteiros do tipo 932, 933, 934, 935, 950, 951, 952, 953 e 957 em que não deve inserir nada no respetivo cabeçote no sentido da fluidez da tinta. Aliás, mesmo no geral, uma primeira limpeza deve ser feita, sem qualquer tinta  ou outro líquido no sentido contrário à fluidez da tinta. Ou seja sempre que possível é melhor que insira o líquido de limpeza à saída do cabeçote e colete a sujidade na sua entrada.

  8. "Tenho que comprar um cabeçote... E agora?"
    Quando adquire um automóvel novo, sabe de antemão que um dia mais tarde terá que substituir pneus, bateria, travões, óleo, filtros, etc.. Seguindo o mesmo raciocínio, uma impressora é uma máquina que sofre desgaste. Curiosamente tal como o automóvel, sofre desgaste quer trabalhe, quer esteja parada. Por isso a compra de um cabeçote para uma impressora já usada não é o "fim do mundo". O cabeçote de uma impressora é a peça com maior desgaste e por isso é natural que com algum tempo de vida necessite de ser substituído. Não há hora marcada, nem número de páginas impressas para que tal aconteça. Depende de vários fatores, entre eles do tipo de cabeçote, da sua construção, das tintas que  utiliza, do tempo que esteve parado e a trabalhar. Um cabeçote de uma impressora Pro deverá ser mais durável do que de uma impressora utilizada apenas em meio doméstica ou ocasional. Digamos que se não é uma impressora Pro e já imprimiu mais de 20 mil páginas estará com sorte. Se tem uma impressora Pro, as 100 mil páginas são uma boa fasquia, mas o cansaço do cabeçote pode acontecer antes disso. Também é necessário ter cuidado na aquisição de um cabeçote novo. Opte por um cabeçote novo da marca da impressora e descarte qualquer outra opção, dado que os cabeçotes reciclados podem já estar muito cansados e provocarem problemas mesmo a breve prazo.

  9. Comprar um cabeçote ou uma impressora nova?
    É uma questão que faz todo o sentido, dado o alto preço dos cabeçotes. Com a evolução dos modelos de impressoras que são apresentados frequentemente, será de equacionar se a aquisição de um cabeçote para uma impressora antiga se justifica face à compra de uma impressora nova. Terá que fazer as contas e confrontar os prós e contras. Normalmente a aquisição de um cabeçote faz sentido para equipamentos profissionais cujo valor seja razoavelmente superior ao do próprio cabeçote. Há certos casos em que fica mais económico adquirir uma impressora que use os mesmos tipos de tinteiros e por conseguinte de cabeçote, retirar-lhe o cabeçote para usá-lo na impressora que deseja voltar a ter operacional.

  10. Tamanho de gota mínimo
    Por vezes, nas características de equipamentos, principalmente Epson, existe o parâmetro, "Tamanho de gota mínimo". O "Tamanho de gota mínimo" é a menor quantidade de tinta que é projetada pelo cabeçote. Quanto menor for esta quantidade, melhor definida será a impressão para a mesma tinta. O "Tamanho de gota mínimo" vai de cerca de 1 a 4 picolitro. 1 picolitro = 1,0 × 10-15 m3 ou por outro lado, 1 picolitro = 1,0 × 10-12 litro.
    Por curiosidade e para que tenha presente quão pequena é essa medida, indica-se os submúltiplos do litro até ao picolitro: Litro, mililitro, microlitro, nanolitro e picolitro.

Comentários:


Fazer um comentário...


Para deixar um comentário ou responder a publicações, por favor Autenticar-se

Últimos Tópicos